Aos 37 anos, lateral Cicinho encerra a carreira no Brasiliense

Aos 37 anos, lateral Cicinho encerra a carreira no Brasiliense

Após duas partidas pelo Brasiliense, o lateral-direito Cicinho decidiu rescindir o contrato com o clube e encerrar a carreira no Distrito Federal. A informação foi confirmada pelo time nesta quinta-feira (1°/3). Aos 37 anos, o jogador sucumbiu às seguidas lesões e consequentes dores acumuladas em 19 anos de profissão.

Cicinho não era mais relacionado para as partidas desde o fim de janeiro, embora acompanhasse os colegas em algumas delas, apenas como espectador. A ausência, questionada por torcedores e pela imprensa, havia virado um mistério. Com isso, Patrick passou a ser o titular da lateral direita.

Antes de acertar com o Brasiliense para a atual temporada, Cicinho ficou mais de um ano e meio sem jogar. A última vez havia sido pelo turco Sivasspor. Em abril de 2016, o lateral sofreu lesão no joelho esquerdo.

Em 27 de janeiro, Cicinho estreou pelo Brasiliense contra o Samambaia, no Estádio Rorizão. Uma forte chuva paralisou o duelo, adiado para o dia seguinte. No segundo tempo, ele foi substituído. O Jacaré venceu por 2×1.

No dia 31 daquele mês, o jogador entrou em campo pela segunda vez, então pela Copa Verde, na derrota por 2×1 para o Atlético-ES, fora de casa. Novamente, o lateral foi sacado pelo técnico Rafael Toledo. Essa foi a última aparição dele como profissional, no campo do Estádio José Olívio Soares, em Itapemirim (ES). O contrato com o clube do DF expiraria em 31 de novembro.

Histórico
Embora tenha afastado o paulista do futebol por mais de um ano e meio, o joelho esquerdo não foi o grande causador de dores e impaciência. O grande vilão foi o direito.

Em 2006, Cicinho sofreu uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito, durante o Campeonato Espanhol, quando defendia o Real Madrid. À época, o lateral atuava como titular na seleção brasileira de futebol, então dirigida por Dunga. A recuperação durou seis meses.

Três anos depois, já jogando pelo Roma, da Itália, Cicinho precisou novamente se afastar do futebol. A mesma lesão voltou a assombrá-lo, e ele precisou passar por outra cirurgia no mesmo local.

Em 2013, o jogador foi para a Turquia, onde ficou por três anos. Ao sofrer mais uma lesão, ele voltou ao Brasil para fazer nova cirurgia, desta vez no joelho esquerdo, e começou a fazer fisioterapia.

Quando chegou ao CT do Brasiliense, Cicinho recebeu cuidados especiais para voltar aos poucos ao futebol. Os esforços, porém, não superaram as lesões.

Campeão mundial
Cicinho nasceu em Pradópolis (SP), em 1980. Ele começou a carreira em Ribeirão Preto, pelo Botafogo-SP. Em 1999, foi para o Atlético-MG e, em seguida, emprestado ao Botafogo do Rio.

A chegada ao São Paulo representou sua melhor fase. Pelo clube paulista, Cicinho conquistou os títulos da Libertadores e do Mundial. O lateral, também em 2005, foi titular da seleção campeã na Copa das Confederações. No ano seguinte, foi reserva de Cafu na Copa da Alemanha.

Quando foi à Copa, ele já defendia o Real Madrid. Em seguida, vieram Roma, São Paulo (novamente, em 2010) e Villarreal, da Espanha, em 2011. Uma rápida passagem pelo Sport, de Recife, foi registrada antes da ida à Turquia.

Curtiu a notícia?

Curta também a nossa página

Deixe seu comentário